30
ABR
2018

Saia Para Voar na Patagônia Argentina

Estamos ganhando o mundo e tivemos a alegria de Sair Para Voar em Bariloche, um pedaço incrível da Patagônia Argentina, a 1800km de Buenos Aires. Vamos dividir um pouco dessa e aventura e já avisamos logo de cara: estamos animadas a trazer você pra sentir e viver a aventura de voar e contemplar esse visual incrível, que permite muitos outros esportes para os amantes da aventura como trekking, mountain bike, escalada, caiaque, mergulho, kitesurf e claro, o tradicional ski e suas variações, durante a temporada de inverno. Passamos um mês a explorar um pouco dessas aventuras e… Vamos dividir um pouco como foi a experiência dos dois voos incríveis que fizemos pelas montanhas nevadas de Bariloche. Os vídeos você pode conferir no history do nosso Instagram @saiaparavoar. Aproveita e nos segue por lá! Como todo bom voador quando desbrava novas montanhas e cenários, tratamos logo de descobrir se havia rampa por perto: utilizamos o aplicativo para celular MagicLamp (que é gratuito, você pode baixar em seu Playstore) e logo os olhos brilharam e vibraram quando viemos que a rampa mais próxima estava a 13km:  Cerro Otto. O próximo passo foi nos conectar com os voadores locais e o aplicativo também é uma excelente ferramenta pra isso e por isso, todo mundo precisa se conectar e cadastrar, pra ser fácil de te achar e se conectar a outros voadores. (se sua rampa não está cadastrada, envia logo os dados para magiclampapp@gmail.com, assim também achamos sua rampa na próxima visita)😉  Seguindo na nossa aventura, nos conectando com o Ernesto (Parapente En Bariloche), voador experiente e local, que nos levou para Sair Para Voar em dois voos e lugares incríveis em Bariloche: Cerro Otto e no Cerro Catedral.

1ª rampa: Cerro Otto – Bariloche, Argentina

(há 2 opções de rampas em Cerro Otto: Oeste e Noroeste; Norte e Noroeste)
Quadrante: W – NW – N – NE
Altitude: 1400m / Desnível: 600m
Melhor época: Verão
Nível: Pilotos de nível intermediário a experiente

Em nosso 1º voo em Bariloche, nos encontramos na base do Teleférico que leva ao Cerro Otto – rampa principal de Bariloche. Lá nos juntamos a outros pilotos e contamos com o apoio e transporte do Federico até a rampa (piloto que se dedica ao translado dos pilotos para a rampa e à expedições regionais e internacionais de voo). Após uma meia hora de carro (10km +/-) chegamos à base da Confeteria Giratória que fica no Cerro Otto e oferece aos turistas um visual incrível de 360º da região e do Lago Nahuel Huapi, que banha parte de Bariloche. Seguimos em uma breve caminhada de 5 minutos para chegarmos à rampa de Cerro Otto: pequena, bem inclinada e de nível técnico – assim como o pouso (ao lado da base do teleférico), que também é pequeno e exige uma certa habilidade técnica e experiência do piloto. Acompanhamos e registramos algumas decolagens dos pilotos locais e alunos e enfim chegou nossa vez de desfrutar um voo lindo e seguro através das asas do Ernesto. As paisagens da Patagônia Argentina são um espetáculo à parte: a região é repleta de lagos e imponentes montanhas por todos os lados.

CONFIRA AS FOTOS:

[foogallery id=”5772″]

 

2ª rampa: Piedra Del Condor

(fica na face norte do Cerro Catedral, uma das maiores pistas de ski da América Latina)
Quadrante: W – NW – N – NE
Altitude: 1750m / Desnível: 900m
Melhor época: Verão
Nível: Pilotos de todos os níveis e com preparo físico para o PATAPENTE de 2h caminhando rumo à conquista do topo e voo!

Em nosso 2º voo em Bariloche, a aventura fora intensificada: fomos convidadas a fazer um Hike and Fly (aqui apelidado de PATAPENTE) de 2 horas para um voo mágico desde o Cerro Catedral, uma das maiores estações de ski da América Latina. 😊 Ernesto nos buscou no Refúgio Cordilheira às 8h30 (ainda escuro e frio) e seguimos nós do km 18 para o km 9, que dá acesso à base do teleférico do Cerro Catedral. Infelizmente em Bariloche não é permitido utilizar o teleférico como meio de transporte de pilotos para as rampas. Por isso, utiliza-se os meios alternativos e nesse caso, se quer merecer esse voo incrível desde o Cerro Catedral, prepare-se para uma subida de 1h30 a 2 horas. A subida é bem tranquila (confesso não tenho preparo físico excepcional e nunca havia praticado PATApente) e… a medida que se vai subindo, a parte mais desafiante é resistir a parar a todo momento para contemplar os visuais incríveis que vão surgindo quando se vai ganhando a montanha. Talvez por isso eu tenha demorado 2horas na subida e tenha ficado pra trás a maior parte do tempo, contemplando! Ao ganhar a montanha se desfruta de uma paisagem incrível, desde a face norte do Cerro Catedral. Chegando ao topo descansamos um pouco, contemplamos mais um taaaanto, compartilhamos um mate e aguardamos atentos o momento e a brisa certa para uma decolagem segura. Todos decolaram e por fim decolamos eu e Ernesto, para um test fly no duplo mais leve que já vi, o BI Skin 2P da Niviuk (pesa só 3,3kg), desenvolvido para escaladores e amantes do patapente. O Hike And Fly no Cerro Catedral foi uma das experiências mais incríveis e intensas que o voo livre já me proporcionou! Sem palavras para a superação e emoção de ganhar a montanha caminhando e como um troféu e merecimento, literalmente se jogar do topo para um voo incrível e no meio das daquelas nuvens e montanhas daquele cenário incrível.

CONFIRA AS FOTOS:

[foogallery id=”5773″]

 

Realmente foi uma experiência inesquecível que eu desejo pra toda a minha família do voo livre! A melhor parte dessa história é que a decolagem e o pouso do Cerro Catedral é recomendado para todos os níveis. Seu desafio é somente o Hike And Fly de 2h Catedral acima com seu equipamento leve e preparo físico em dia pra chegar lá tranquilo, merecer e fazer um dos voos mais incríveis que você pode fazer com as suas asas.

O meu próximo desafio eu já compartilho: Treinar a voar para voltar à Bariloche no verão, em janeiro – quando o voo é propício na região, para conquistar o voo solo dos Cerros Otto e Catedral e também voar em El Bolson! Quem quiser também já está desafiado e convidado, a EXPEDIÇÃO JÁ ESTÁ MARCADA E TEM DATA: vamos Sair Para Voar em janeiro e fevereiro na Patagônia Argentina e além dos voos de Bariloche, vamos conhecer a rampa de El Bolson (130km de Bariloche), região também lindíssima e propícia a todos os níveis e de atividade intensa na prática de voo livre. Pra galera que curte o Cross, há possibilidades de se fazer o voo de cross de Bariloche a El Bolson ou… Vir de El Bolson voando até Bariloche. Vamos torcer e ver o que a natureza vai reservar pra gente!

Certamente vai ser uma intensa aventura e conexão com a natureza e as catedrais patagônicas, vamos praticar além do voo livre, trekking, mountain bike e kaiaky, com pacotes de 7 ou 10 dias e com guias locais experientes em ambos os esportes. Se prepare, se programa e garante já sua companhia nessa experiência com a gente: contato@saiaparavoar.com.br

Esperamos que tenham curtido essa trip e voo e que venham vivenciar essa experiência com a gente! seguiremos voando por aí e levaremos todos conosco, compartilhando as rampas que vamos desbravando por aí com o apoio do Magic Lamp (não esquece de baixar no seu cel)! Um híper e mega abraço coletivo e especial para a equipe do Refúgio Cordilheira (Andy, Johnny e Thiago) e ao Ernesto, ao Federico, à Fátima e à toda a família de pilotos Argentinos que compartilharam essa experiência com a gente!

Nos vemos na nossa próxima aventura! 😉

Por Pri Saran

409 Views

Deixe seu comentário

*

captcha *